Ipatinga

Pesquisar é uma necessidade dos professores. Quando trabalhamos determinados conteúdos, com os nossos alunos, recorremos a dados  e informações que facilitem o processo ensino- aprendizagem, por isso a importância de pesquisas. É o que acontece ao desenvolvermos um estudo sobre o nosso município. Realizamos uma pesquisa para maior acesso às informações sobre nossa cidade.

O material faz um resgate da história de Ipatinga mostrando seu crescimento e avanços, fazendo relações entre passado e presente.

Vale a pena conferir!

PREFEITURA  MUNICIPAL  DE  IPATINGA

ESTADO  DE  MINAS  GERAIS

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

        DEPARTAMENTO PEDAGÓGICO/SEÇÃO DE ENSINO   FORMAL

Centro de Formação Pedagógica – CENFOP

 

CONHECENDO O MUNICÍPIO DE IPATINGA 

FUNDAÇÃO:

29 de abril de 1964 

GENTÍLICO: ipatinguense.

LEMA: “Confiança, Trabalho, Progresso”

LOCALIZAÇÃO

COORDENADAS GEOGRÁFICAS:

Latitude Sul:  19º 28′ 46″,

Longitude Oeste:  42º 31′ 18″

FUSO HORÁRIO:UTC−3

UNIDADE FEDERATIVA:    Minas  Gerais

MESORREGIÃOVale do Rio Doce

MACRORREGIÃO DE PLANEJAMENTO X:  Rio Doce

MICRORREGIÃO:  Ipatinga

REGIÃO METROPOLITANA: VALE DO AÇO.

REGIÃO ADMINISTRATIVA RA-13:  Vale do Aço.

OBS.: A Microrregião de Ipatinga agrega as cidades de Açucena, Antônio Dias, Belo Oriente, Cel. Fabriciano, Jaguaraçu, Joanésia, Marliéria, Mesquita, Santana do Paraíso, Timóteo e Ipatinga.

MUNICÍPIOS LIMÍTROFES :

Norte/Leste:  Santana do Paraíso.                     Sul:  Timóteo.

Oeste:  Coronel Fabriciano.                                 Leste:  Caratinga.

Ipatinga, limita-se ao norte com o município de  Santana do Paraíso, ao sul com o Município de  Timóteo, a oeste com o Município de  Coronel Fabriciano e a leste com o Município de Santana do Paraíso e uma pequena porção do Município de Caratinga.

FONTE: IBGE/CENSO 2010

Ipatinga é um município brasileiro no interior do estado de Minas Gerais. Pertencente à mesorregião do Vale do Rio Doce e à microrregião de mesmo nome, localiza-se a nordeste da capital do estado, distando desta cerca de209 quilômetros. Sua população foi contada em 2010 pelo IBGE em 239 177 habitantes, sendo assim o décimo mais populoso do estado de Minas Gerais e o primeiro de sua microrregião. Está a947 quilômetrosde Brasília, a capital federal. A cidade localiza-se exatamente no local em que as águas do rio Piracicaba se encontram com o rio Doce. Sua área é de 165,509 km², sendo que 22,9245 km² estão em perímetro urbano.

COLONIZAÇÃO DA REGIÃO

Entre os séculos XVI e XVII, entradistas seguiam pela região à procura de ouro e materiais de valor, mas a descoberta de ouro na região central de Minas Gerais fez com que vilas e povoados crescessem nesta região que até então era habitada apenas pelos índios “Botocudo”. Pouco tempo depois, a Coroa portuguesa proibiu o povoamento da região do Vale do Rio Doce, para evitar o contrabando de materiais preciosos. Na segunda metade do século XVIII, Antônio Noronha ordenou a construção de uma estrada ao leste da capitania, justificando-se de que havia ouro nessa região. A estrada foi concluída pouco tempo depois.

Os primeiros “civilizados” a chegarem até a região de Ipatinga e do atual Vale do Aço, vieram em 1752 de Sant’ana do Alfié pela Serra da Vista Alegre. Atravessando o Rio Piracicaba, abrindo na margem esquerda do rio uma posse no lugar hoje conhecido por Sítio Velho, nas cercanias da atual Usiminas, não tendo prosseguido por ter sido assassinado por um escravo que ele alugara de dona Ana Matos.

No início do século XX, as principais atividades econômicas da região eram a agricultura de subsistência e a pecuária. No ano de 1901 o engenheiro Pedro Nolasco foi contratado para planejar uma estrada margeando o Rio Doce, que fosse desde o Porto de Vitória até a cidade de Diamantina (Constituição da Companhia Estrada de Ferro Vitória a Minas – EFVM). Sete anos mais tarde, um estudo comprovou o alto teor de ferro nas jazidas de minério de Itabira. O interesse internacional dos ingleses mudou o projeto original da ferrovia, para facilitar o escoamento da produção para o Porto de Vitória, de onde seria levado em direção à Europa.

Em 1903, com o início da construção da Estrada de Ferro Vitória a Minas, começaram a chegar os primeiros habitantes da “primitiva” cidade de Ipatinga e da Região Metropolitana do Vale do Aço. Através dos trilhos da estrada de ferro, fixaram-se na região além dos operários, e viajantes de várias partes de Minas Gerais e até de diferentes lugares do Brasil que vieram tentar a sorte na cidade. Em 01 de agosto de 1922 a Estrada de Ferro foi inaugurada e no dia 22 de agosto do mesmo ano, foi inaugurada a Estação Pedra Mole, a primeira da cidade. O primeiro a fixar moradia foi José Fabrício Gomes, explorador de matas, que se apossou de uma área onde hoje abrange o município de Ipatinga, com a intenção de explorar madeira. Pouco tempo depois, as terras foram repassadas a José Cândido de Meira que aumentado a atividade de extração de madeira. Logo após, Alberto Giovannini transformou o local numa fazenda de gado, construiu no terreno uma boa casa e, nos terrenos férteis, cultivou lavoura, atraindo colonos para o trabalho na fazenda. No ano de 1930, o trajeto da EFVM foi alterado. A Estação de Ipatinga (atualmente Estação Memória) foi construía para substituir a de Pedra Mole, que desabou em virtude da instabilidade do terreno. Suas ruínas ainda restam na beirada do Rio Piracicaba, perto da confluência com o Rio Doce. Tudo o que resta desta estacão é uma parede, suas fundações e um poço abandonado na região do bairro Castelo. Ao redor da Estação Ipatinga, continua o crescimento e o desenvolvimento do povoado.

EXPANSÃO ECONÔMICA E SIDERÚRGICA

A vocação siderúrgica de Ipatinga inicia-se em 31 de outubro de 1944, quando foi inaugurada a ArcelorMittal Timóteo (antiga ACESITA – Companhia de Aços Especiais de Itabira). Em território que então estava em território de Coronel Fabriciano, atualmente no município de Timóteo. Dessa época também é a elevação de Ipatinga a distrito de Coronel Fabriciano. Em 27 de dezembro de 1948, depois de um longo processo tramitado na Assembleia Legislativa do Estado de Minas Gerais – ALMG, o governador Milton Campos assina a Lei nº. 336, criando o município de Coronel Fabriciano, emancipando-se de Antônio Dias. Junto com a emancipação, Ipatinga também eleva-se a distrito da cidade.

Após visita de uma delegação japonesa ao então distrito de Ipatinga,o local foi escolhido como área para a instalação da sede da Usiminas. Em 25 de abril de 1956 a Usiminas tem sua constituição, de empresa, legalizada. Os motivos  cruciais para a escolha do local foram: a topografia apropriada,a pequena distância entre as fontes de matéria prima e os centros consumidores, facilidades dos recursos hídricos, abundância de energia elétrica, malha ferroviária local e proximidade com outros centros siderúrgicos.

Em 1958 tem início a construção da Usiminas, com as notícias da construção da siderúrgica que se instalaria na região, foi grande a chegada de novos moradores, antes de sua instalação. Isso aumentou a necessidade de um planejamento urbano para a cidade. Os empregados da empresa foram instalados em acampamentos improvisados, distribuídos por toda a extensão do distrito. Os aventureiros amontoam seus barracos nas vias públicas e praças. A Usiminas foi fundada em 26 de outubro de 1962.

Em 29 de abril de 1964 ocorre a emancipação de Ipatinga juntamente com a de Timóteo, sendo decretada por José de Magalhães Pinto. A partir daí, o distrito de Barra Alegre, passa oficialmente a pertencer a Ipatinga. No mesmo ano (1964), é eleito Délio Baeta Costa como intendente e um ano depois Fernando Santos Coura se torna prefeito. Anos mais tarde, em 8 de dezembro de 1975, é criada a Comarca de Ipatinga, instalada em 2 de fevereiro de 1977.

EMANCIPAÇÃO POLÍTICA

O crescimento acelerado da região e o conflito de interesses de sua população culminou com o chamado Massacre de Ipatinga, quando várias pessoas foram assassinadas em 7 de outubro de 1963. Houve mais de trinta mortos e mais de três mil feridos.

Com o crescimento rápido, tornou-se fundamental que Ipatinga tivesse autonomia administrativa, tomando ares de cidade. A pequena vila dependia diretamente dos interesses da sede, que era Coronel Fabriciano, e os moradores acusavam políticos fabricianenses de descaso administrativo para com o distrito. Resolveram então, em 1960, criar a Associação Amigos de Ipatinga, um grupo de pioneiros que seriam responsáveis pelo encaminhamento do processo de emancipação de lpatinga, garantidos pelas divisas que a Usiminas gerava. A Assembléia Legislativa de Minas Gerais aprovou, em redação final, o projeto de revisão administrativa, que criou 237 novos municípios, entre eles estava Ipatinga (Lei estadual n° 2764, de 30 de dezembro de 1962), tendo sido vetada pelo Governado Magalhães Pinto a instalação dos municípios de Ipatinga e Timóteo, que enviou uma carta às comissões Pró-Emancipação de Ipatinga e Timóteo, informando o veto à sua emancipação e os seus motivos: afirmava que pretendia manter a unidade política, administrativa, econômica e financeira desse pólo siderúrgico.

HISTÓRIA RECENTE

A partir da década de 1970, há uma inversão hegemônica de crescimento econômico e demográfico no Vale do Rio Doce. O aglomerado urbano da região, concentra todas as aspirações externas e as tensões internas ocasionadas pelo crescimento populacional. Uma das consequências desse crescimento populacional são as enchentes. Entre os dias 1º e 4 de fevereiro de 1979, uma forte e intensa chuva deixa vários mortos e desabrigados, em uma enchente que não atingiu apenas Ipatinga, mas ainda várias cidades localizadas ao longo das margens do Rio Doce e afluentes. Cerca de 10 mil pessoas ficam desabrigadas e pelo menos 42 morreram somente no município ipatinguense, a maioria soterrada por queda de encosta na chamada grota do IAPI, no Bairro Bom Jardim.

Ao longo do tempo, com o crescimento populacional da cidade, houve a necessidade da expansão dos setores econômico e turístico de Ipatinga. A Estação Memória foi tombada pelo Patrimônio Histórico e Artístico Municipal, através do Decreto n.º 1.442, de 30/12/1981; em 20 de outubro de 1982 é inaugurado o Kart Clube Ipatinga; em13 de novembro de 1982 é inaugurado o Estádio Epaminondas Mendes Brito que por força de lei municipal passou a se chamar Estádio Municipal João Lamego Neto “Lamegão” (25 de abril de 2011); em 6 de novembro de 1983 foi fundado o Kartódromo Emerson Fitipaldi; em 3 de março de 1990 foi a inauguração do Aterro Sanitário de Ipatinga atualmente desativado do local de origem, um novo foi construído também nos arredores da cidade; em 21 de maio de 1998 é fundado o Ipatinga Futebol Clube; em 23 de setembro de mesmo ano foi inaugurado o Shopping do Vale do Aço e o Centro Cultural Usiminas; em 29 de abril de 2004 inaugura-se o Parque Ipanema com nova estrutura de lazer…

Também em decorrência do crescimento demográfico de Ipatinga e cidades vizinhas, em 30 de dezembro de 1998 foi criado o Vale do Aço, reunindo além de Ipatinga, Coronel Fabriciano, Santana do Paraíso e Timóteo e os outros 22 municípios de colar metropolitano, sendo elevado a Região metropolitana em 12 de janeiro de 2006.

REGIÃO METROPOLITANA DO VALE DO AÇO (RMVA)

Região Metropolitana Região estabelecida por legislação estadual e constituída por agrupamentos de municípios limítrofes, com o objetivo de integrar a organização, o planejamento e a execução de funções públicas de interesse comum.

A Região Metropolitana do Vale do Aço foi criada por lei estadual em 30/12/1998, abrangendo os municípios de Ipatinga, Coronel Fabriciano, Timóteo e Santana do Paraíso. No entorno da Região Metropolitana estão 22 cidades que integram o Colar Metropolitano (ver mapa abaixo).

A forma de organização da Região Metropolitana é moderna e democrática, respeitando a autonomia de todos os municípios participantes.

REGIÃO METROPOLITANA E O COLAR METROPOLITANO:

 

DADOS GEOGRÁFICOS DO MUNICÍPIO DE IPATINGA:

Área – 165,509  km²

População – 239177 (Censo 2010 – Minas Gerais)

Densidade demográfica – 1.445,09 (hab/Km²)

Indicadores:

IDH-  0,806 elevado PNUD/2000

PIB – R$ 5 509 973 mil (BR: 71º) – IBGE/2007

PIB per capita – R$ 23.113,00 IBGE/2007

Bioma: Mata Atlântica

Relevo

Topografia:

Plano:  55%

Ondulado:  30%

Montanhoso:  15%

Altitude: 220 metros acima do nível do mar

Máxima:  Serra dos Cocais: 1.163m

Mínima:  Foz do Rio Piracicaba: 200m

Clima – Tropical subquente e subseco
Temperatura:

Média Anual:  23º C.

Máxima (verão):  35º C.

Mínima (inverno):  7,6º C.

Umidade relativa do ar :

Inverno:  78,2%

Verão:  84,0%

Regime pluviométrico:

Regime Unimodal:  166,5 Km2,

Precipitação Mensal:  343,6 mm (verão)

HIDROGRAFIA:

Principais rios: Rio Piracicaba, Rio Doce e Ribeirão Ipanema (nasce e deságua dentro do município)

O município está localizado no exato local onde o Rio Piracicaba encontra-se com o Rio Doce. A cidade de Ipatinga é cortada pelo Ribeirão Ipanema, que nasce e deságua em seu território.

Rio Piracicaba: Nasce na Serra do Caraçaem Ouro Preto, é afluente da margem esquerda do Rio Doce. Rio que abriga a Usina Hidrelétrica de Guilman Amorin, que atende à Companhia Belgo Mineira / Samarco Mineração. O Rio Piracicaba banha o município em sua porção leste, margeando Ipatinga iniciando seu trajeto junto ao Bairro Imbaúbas, contornando o Bairro Bom Retiro, Bela Vista, Bairro das águas, Bairro Cariru e Bairro Castelo e logo a frente se encontra com o Rio Doce que logo em seguida recebe as águas do Ribeirão Ipanema.

Ribeirão Ipanema:

Nasce nos pontos mais altos do Ipaneminha e vêm ao longo do seu percurso recebendo águas dos córregos e nascentes. Em alguns pontos formam belíssimas cachoeiras. E deságua após o encontro do Rio Piracicaba com Rio Doce, próximo ao Bairro Castelo.

O Ribeirão Ipanema recebe suas primeiras águas das nascentes do Ipanemão (nome popular dado às partes mais altas do Ipaneminha). No início de seu curso recebe águas das primeiras fontes que jorram em abundância, mais a frente recebe águas do Córrego dos Lúcios, Córrego dos Becas, Córrego do Ipaneminha, Córrego Tribuna, Ribeirão Pedra Branca, Córrego Rosário, Córrego Morro Escuro, Córrego Taúbas, Córrego Santa Cruz, Córrego Limoeiro, Córrego Furquilha, Córrego Bom Jardim. Na zona urbana percorre, já com um fluxo rasoável de água, flui entre os bairros Cidade Nobre e Vila Celeste, onde recebe as águas provindas do pequenos cursos d`água que encorpam o leito do ribeirão que caminha entre os Bairros Iguaçu e Jardim Panorama, segue pelo Parque Ipanema, mais a frente entre o Centro e o Bairro Veneza e antes de desaguar Rio  Doce passa pelo Bairro Vila Ipanema.

Atualmente o ribeirão sofre gravemente com a degradação ambiental, principalmente com o despejo de lixo e esgoto ao longo de seu curso, assoreamento das margens, poluição hídrica com esgotos domésticos e de pequenas indústrias, oficinas ou matadouros, extinção da biodiversidade local e erosão. Para evitar esse problema, a prefeitura fez plantio de mudas de plantas ao longo de áreas críticas ( recomposição da mata ciliar).

Em diversos pontos do município observa-se a formação de lagoas naturais e  fontes (subterrâneas e superficiais) águas que também chegam até o Ribeirão ipanema.

A Usiminas ocupa uma área privilegiada, dentro do espaço reservado do parque industrial da Usiminas há uma grande lagoa que recebeu o nome de Lagoa da Anta.

A área Rural de Ipatinga e áreas próximas aos Cursos D’águas encontram-se nos limites da Área de Preservação Ambiental (APA). Este espaço encontra-se preservado contra o desmatamento, principalmente para manutenção da mata nativa e proteção dos mananciais, consequentemente ainda é possível encontrar alguns animais silvestres nestas áreas.

APA IPANEMA

Objetivos:
I – assegurar a proteção dos recursos naturais locais;
II – promover a melhoria da qualidade de vida das comunidades integrantes da área;
III – estabelecer critérios de uso e ocupação de região;
IV – proteger a bacia de drenagem do ribeirão Ipanema pelo ordenamento

A APA IPANEMA é comporta por uma área de 94 Km².(Observe o mapa hidrográfico/vegetação do Município de Ipatinga em seu contorno rosado).

A APA IPANEMA abrange a bacia hidrográfica do Ribeirão Ipanema, considerando todo seu conjunto afluente até a porção abaixo proxima da foz do Córrego Santa Cruz e do Córrego Limoeiro, enquanto pela margem esquerda abrange o divisor de águas entre o Córrego Chácara Madalena e o Córrego dos Meninos, local onde localiza o Centro de Treinamento Giancarlo Vella, a partir de onde contorna a área urbana dos Bairros Chácara Oliveira, Bethânia e Granja Vagalume, atingindo a porção médio-alta do Córrego Taúbas, de onde sobe para o Alto Ipanema, ao longo da linha de crista das sub-bacias do Córrego dos Meninos, Pedra Branca, Tribuna e Ipanema descendo pelas cristas da margem direita, até atingir o divisor de águas entre o Córrego Santa Cruz e Limoeiro.

Ipatinga está localizada na microrregião Siderúrgica de Minas Gerais (o maior pólo siderúrgico da América Latina) abrange parte da bacia do Rio Doce (Rio Piracicaba e Ribeirão Ipanema). A Bacia do rio Doce e principais afluentes, no entorno do Parque Estadual do Rio Doce (PERD), é dominada por silvicultura intensiva e por áreas de pastos. Nessa região existem ainda três grandes concentrações industriais, a saber: Monlevade, Acesita, Ipatinga (Usiminas) e Cenibra (Cia Vale do Rio Doce). Extraído de Barbosa et al. (2000).

 BACIA DO RIO DOCE

CLIMA:

O clima de Ipatinga é tropical, podendo nos pontos mais altos apresentar características típicas de clima tropical de altitude, com diminuição de chuvas no inverno e temperatura média anual de 21,6°C, tendo invernos secos e amenos (raramente frios) e verões chuvosos com temperaturas moderadamente altas. Os mêses mais quentes, fevereiro e março, tem temperatura média de 29,2°C e o mês mais frio, julho, de 11,5°C. Outono e primavera são estações de transição.

A precipitação média anual é de 1254,9 mm, sendo julho o mês mais seco, quando ocorrem apenas 11,4 mm. Em dezembro, o mês mais chuvoso, a média fica em 257,1mm. Nos últimos anos, entretanto, os dias quentes e secos durante o inverno têm sido cada vez mais frequentes, não raro ultrapassando a marca dos 30°C especialmente entre os meses de julho e setembro. Durante a época das secas e em longos veranicos em pleno período chuvoso, também são comuns registros de fumaça de queimadas em morros e matagais. Principalmente na zona rural da cidade. Em agosto de 2004, a precipitação de chuva não passou dos 0 mm. Os índices de Umidade relativa do ar (URA) ficaram entre 78,2% no inverno a 84% no verão. A média anual de precipitações fica em torno de 1260mm.

A temperatura mínima já registrada na cidade foi de 9 °Cno dia 8 de agosto de 1961. A máxima registrada foi de 40 °C, nos dias 8 de fevereiro do ano de 2006 e em 1º de novembro de 2007. O maior acumulado de chuva em menos de 24 horas foi de 110 mm registrados em 13 de dezembro de 2004 e 22 de setembro de 2009. Tempestades de granizo também não são comuns na cidade, uma das piores ocorreu em 4 de setembro de 2006. Nevoeiros são comuns durante os meses frios.

 

VEGETAÇÃO:

Nativa: A vegetação nativa do município pertence ao domínio florestal Atlântico onde se destacam árvores como o Jequitibá-rosa, a Sapucaia, o Jacarandá-caviuna, a Braúna e o Palmito-doce

Exótica: Em função das atividades siderúrgicas e da produção de celulose, grande parte da cobertura vegetal nativa foi destruída, dando lugar às plantações de eucalipto.

  

FONTE: Vhttp://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:Jequitiba.jpg

MAPA – VEGETAÇÃO DO MUNICÍPIO

 

FLORA:

A cidade possui uma Legislação Ambiental que diz que é de total responsabilidade do município proteger a fauna e a flora local existentes nos logradouros públicos, cabendo somente a ele o controle de suas populações, em atuação coordenada com órgãos federais e estaduais que direta ou indiretamente exerçam tais atribuições. Cerca de 26,8% das matas existentes em território ipatinguense são naturais e 15,9% artificiais.

Como Ipatinga fica localizada no país de maior biodiversidade do planeta, é fácil encontrar diversas aves, peixes, e insetos, que dificilmente se encontra em outro país do mundo, já que uma entre cada cinco espécies encontram-se no Brasil. A vegetação nativa do município pertence ao domínio florestal Atlântico (Mata Atlântica), onde se destacam árvores como o Jequitibá-rosa (Cariniana legalis), a Sapucaia (Lecythis pisonis), o Jacarandá-caviuna (Dalbergia nigra), a Braúna (Schinopsis brasiliensis) e o Palmito-doce (Euterpe edulis). Porém, devido a exploração nos períodos colonial e imperial e, atualmente com as atividades siderúrgicas e da produção de celulose para as grandes empresas da cidade e da região, grande parte da cobertura vegetal nativa foi destruída, dando lugar às grandes plantações de eucalipto.

FAUNA:

Na fauna ipatinguense é comum observar animais típicos de sua vegetação nativa, como o Gato-do-mato (Leopardus tigrinus), Tatu (Chlamyphorus), Paca (Cuniculus paca), Raposa (Vulpes), Rato silvestre (Microtus arvalis), Sabiá-laranjeira (Turdus rufiventris), Sanhaço (Thraupidae), Tico-tico (Zonotrichia capensis), Rolinha (Columbinae), Saíra (Schinus terebinthifolia), Bem-te-vi (Pitangus sulphuratus), além de algumas espécies de aves de rapina, dentre outros.

RELEVO:

No município, predomina um relevo variando entre montanhoso e plano (área predominante dos mares de morros). Cerca de 55% do território ipatinguense é plano, 30% das terras são de mares de morros e nos 15% restantes o terreno é montanhoso . Grande parte do relevo montanhoso está na Serra dos Cocais.

A área de domínio Morfoclimático de Mares de Morros caracteriza-se pelo relevo com topografia em “meia-laranja”, mamelonares ou mares de morros. Apresenta predominantemente clima tropical quente e úmido, caracterizado pela floresta latifoliada tropical, conhecida como Mata Atlântica. Essa paisagem sofreu grande degradação em conseqüência da forte ocupação humana. Além do desmatamento, esse domínio sofre intenso processo erosivo (relevo acidentado e clima úmido), com deslizamentos freqüentes e formação de voçorocas (grandes buracos de erosão).

 

Esse domínio é o mesmo que acompanha a faixa litorânea do Brasil desde o Nordeste até o Sul do País.

A geografia de Ipatinga é homogênea. O município conta com uma vegetação de Mata Atlântica e Cerrado. A área do município é de 165,509 km², representando 0,0282% do território mineiro, 0,0179 da área da região Sudeste do Brasil e 0,0019% de todo o território brasileiro. Localiza-se na região leste do estado de Minas Gerais, entre os rios Piracicaba, Doce e tendo a sub-bacia do Ribeirão Ipanema papel importante em sua configuração. A cidade tem a altitude média de 250 metros. O ponto culminante do município está na Serra dos Cocais, que mede 1.163 metros, próximo a divisa com Coronel Fabriciano. A altitude mínima se encontra na foz do Rio Piracicaba, com 235 metros.

Com relação ao relevo, 15% da área de Ipatinga correspondem a uma topografia bastante movimentada, com encostas íngremes, localizadas, principalmente, na periferia do município, as quais podem servir de ponto de escape para populações de baixa renda, tornando-se áreas ainda mais suscetíveis aos movimentos de massa (deslizamento de terra)

MAPAS DO RELEVO DE IPATINGA VIA SATÉLITE

 

Fonte: fotos de satélite

 

Fonte: fotos de satélite

DIVISÃO POLÍTICA DO MUNICÍPIO DE IPATINGA

ÁREA: (valores arredondados)

Total:  166,4 Km2

Urbana:  74,0 Km2

Rural:  92,4 Km2

ZONA RURAL:

A zona rural de Ipatinga, é composta pelas áreas pertencentes ao Tribuna, Ipaneminha e Pedra Branca. Nestas áreas ainda é possível encontrar pequenas porções da mata Atlântica preservadas (Áreas de Preservação Ambiental – APA) e muitas nascentes de águas cristalinas, responsáveis por manter as cachoeiras e os pequenos córregos.

Algumas famílias fazem plantações em suas propriedades e criam alguns tipos de animais. Há uma grande área utilizada para pastagens.

O turismo é parte integrante da renda de algumas famílias que exploram as belezas da região de áreas elevadas, recebendo visitantes em suas pousadas e cachoeiras.

ZONA  URBANA:

A cidade é composta apenas por 2 distritos, são eles a Sede e Barra Alegre, além dos 34 bairros oficiais e 10 não-oficiais. O bairro mais populoso é o Canaã, com 28.510 habitantes (IBGE/censo 2010). O maior em extensão territorial é o Ipaneminha, com 50,4 km².

A  área Urbana de Ipatinga é composta oficialmente por 32 Bairros, embora , exista na realidade 62 localidades reconhecidas pelos moradores. São os principais bairros não-oficiais da cidade: Canaãzinho (extensão do Canaã); Planalto (Veneza); Vila Militar (Betânia); Vila Formosa (Cidade Nobre); Tiradentes (Vila Celeste); Caçula (Jardim Panorama), além do Distrito Industrial.

Para facilitar a administração, a cidade foi dividida em 9 regionais.

A  DIVISÃO DO MUNICÍPIO EM 9 REGIONAIS ;

Cada regional é composto pelos bairros reconhecidos formamlmente e por localidades não formais, também incorpora, neste modelo de divisão adminiostrativa os bairros rurais, assim dispostos:

REGIONAL I

Das águas, Castelo, Cariru e Vila Ipanema.

REGIONAL II

Bela Vista, Bom retiro, Imbaúbas, Usina e Santa Mônica.

REGIONAL III

Ideal, Ferroviários Iguaçu, Cidade Nobre e Vila da Paz.

REGIONAL IV

Oficiais – Centro, Veneza I, Veneza II, Jardim Panorama,Caravelas, Novo Cruzeiro, Não oficiais – Morro do Sossego, parque das águas, Planalto II e Caçula.

REGIONAl V

Oficiais – Canaã, Vila Celerste e Chácaras Oliveira.

Não oficiais – Canaãzinhp, Vale do Sol, Vista Alegre e Furquilha.

REGIONAL VI

Granjas Vagalume e Bethânia.

São também chamados de Bethânia as localidades não oficiais: Morro do Cruzeiro, Morro do São Francisco, Alto da Boa Vista, Tiradentes, Taúbas , Vila Militar e Mutirão Nossa Senhora da Esperança.

REGIONAL VII

Oficiais – Bom jardim e Esperança.

Não oficiais – Nova Rsperança, Serra Dourada, Mutirão Primeiro de Maio. Novo jardim e Nova Conquista.

REGIONAL VIII

Barra Alegre(distrito), Limoeiro, Chácara Madalena e Córrego Novo

Não oficiais – Vila Formosa e Recanto

REGIONAL IX

Pedra Branca, Tribuna e Ipaneminha.

Não Oficiais – Córrego dos Lúcios, Morro Escuro e Ipanemão.

BAIRRO MAIS POPULOSO DE ACORDO COM O CENSO 2010

 FONTE: IBGE/CENSO 2010

MAPA DA ÁREA URBANA:

 

 FONTE: IBGE/CENSO 2010

FORMAÇÃO DO POVO IPATINGUENSE:

A população de Ipatinga é uma população formada em grande parte por imigrantes. Atraídos inicialmente pela exploração mineral (ouro e pedras preciosas), mais tarde pela exploração vegetal: retirada da mata nativa para exploração do carvão vegetal que se consumia nos fornos das indústrias. Da população nativa, os Boruns chamados popularmente de “botocudos” há uma minoria representada pelos Krenak não residentes na região do município. Percebe-se na população ipatinguense, traços do negro, indígena, europeu e asiático.

Até1822, aposse direta das terras se dava através da invasão (armada ou não) esta era a forma mais comum de obtenção de terras. Nos primeiros anos do século XIX, há uma mudança na política de povoamento, a despeito disto, na região do Rio Doce, a concessão de sesmarias continuou até 1836. Vieram pessoas de todo lugar. Extrangeiros dispostos a lutar contra a malária e os índios para possuírem um pedaço de chão e possivelmente ouro e pedras preciosas.

A Constituição de 1824 nada estabelece sobre a questão de terras. Há lacuna legal. Somente em 1850, pensando também nas conseqüências da recém-promulgada lei Eusébio de Queirós – que extinguiu o tráfico negreiro , é editada a Lei de Terras, regulamentando o acesso e o controle das terras pelo Estado, e, principalmente, impedindo que índios, ex-escravos e até mesmo imigrantes recém-chegados se tornassem livres proprietários através de posses, deixando os fazendeiros sem mão-de-obra.

Os asiáticos vieram para Ipatinga e aqui se instalaram a partir de 1958. Os japoneses escolheram os terrenos cobiçados pela ACESITA (Companhia Siderúrgica) e nele construíram a Usiminas. Com a vinda da Usiminas, um grupo de japoneses e suas famílias imigraram para Ipatinga e aqui fixaram residência. Estes japoneses representavam mão de obra especializada necessária na construção e mais tarde responsável por colocar a empresaem funcionamento. Comandaramtrabalhadores de todos os lugares do Brasil que chegaram atraídos pelas ofertas de emprego e uma chance de saída da área rural, muitos não possuíam nenhuma qualificação profissional e foram treinados para o trabalho.

DEMOGRAFIA E OCUPAÇÃO DO ESPAÇO – A CIDADE IPATINGA

A construção da Usiminas e o surgimento da cidade de Ipatinga inserem-se no contexto geral do quadro político e econômico brasileiro das décadas de 1940 e 1950, decorrente dos reflexos da Segunda Guerra Mundial. Naquela época, o, então, presidente. Getúlio Vargas havia orientado os investimentos do Estado para indústrias de base e para a redução das importações, o que favoreceu o aumento da população urbana pelo êxodo rural em busca de melhores condições de vida. Como desdobramento destas estratégias políticas, ao final da década de 50 destaca-se a construção da Usina Siderúrgica de Minas Gerais (USIMINAS), mediante investimentos orientais à procura de expansão de mercados em função dos danos sofridos durante a Segunda Grande Guerra.

Na mesma época em que, no cerrado, construía-se Brasília, a Usiminas foi implantada numa posição geográfica estratégica, por onde passavam a Estrada de Ferro Vitória-Minas que levava o minério do interior até o litoral, os rios Piracicaba e Doce e também pela presença de uma hidrelétrica naquelas proximidades. Assim, a Usina ficou localizada entre o rio Piracicaba e a Estrada de Ferro, que segue paralelamente à BR-381 e depois à BR-458 formando o eixo rodo-ferroviário que cruza a cidade. Nesse mesmo limite, estava o espaço destinado à Vila Operária que abrigaria a demanda de mão-de-obra gerada pela empresa.

Em meio aos ideais modernistas, o Plano Urbanístico foi desenvolvido pelo arquiteto Rafael Hardy Filho e apresentado em 1958. Coube a ele desenvolver um projeto para atender a vida social dos funcionários da Usina assim como às exigências feitas pela própria empresa. Nesse momento, o arquiteto mineiro renuncia à oportunidade de trabalhar na construção de Brasília que acontecia no mesmo período e convida o arquiteto Marcelo Bhering para desenvolverem, em conjunto, esse projeto. (Mendonça, 2006).

[…] Não seríamos nós que haveríamos de preconizar uma cidade “segregada”. No entanto, as próprias condições de trabalho duma Usina de porte da Usiminas […]obrigaram a uma discriminação das unidades habitacionais por classes de funcionários, engenheiros e operários. (Hardy & Bhering, 1958)

A cidade, formada por “elementos heterogêneos”, reproduziria o quadro de hierarquia na malha urbana da cidade, formando bairros definidos como Unidades de Vizinhança, diferenciados para cada tipo de funcionário.

Esse cenário de segregação se reproduziria também a partir do crescimento espontâneo da cidade. Baseada em perspectivas de desenvolvimento da indústria, a década de 70 foi um marco na expansão da malha urbana de Ipatinga e da população não funcionária da Usina.

O processo migratório fez emergir uma cidade precária e secundária: a paisagem de núcleo improvisado, sem infra-estrutura e de formação social com base no subproletariado adventício, vinculado, predominantemente, às empreiteiras e aos serviços não diretamente ligados à Usiminas (CURA, 1978)

As definições de desigualdades e das diferenças sociais podem ser visualizadas através da hierarquia do plano original da Vila Operária e da população que migrou para Ipatinga e tendo condição de trabalho diferente dos primeiros habitantes. A cidade ficou estratificada, então, em categorias profissionais que delimitam a renda, as condições de moradia, das edificações e infra-estrutura urbanas e, logo, a posição geográfica na malha urbana, conferindo diferentes padrões da acessibilidade.

No início de construção e implantação da Vila Operária da Usiminas, as casas pertenciam à Usina e seus funcionários não pagavam aluguel, luz nem água. As residências e alojamentos não tinham muros, porém, conforme relata um de seus moradores desse período, Sr. Raimundo Araújo Dias, havia bastante segurança porque só havia trabalhadores e suas famílias. Entretanto, com a ampliação da Usiminas e a necessidade de novas unidades habitacionais, a empresa não teve condições de continuar arcando com essas despesas; aproveitou o Plano Nacional de Habitação e o sistema de financiamento do Banco Nacional de Habitação (BNH) para vender as casas aos seus funcionários. A partir daí, começaram a surgir algumas reformas arquitetônicas, até então proibidas, que alteraram a paisagem urbana; porém o traçado urbano manteve suas características do Urbanismo Moderno.

Dentre as mudanças identificadas, observa-se que o bairro Bom Retiro, assim como os demais incluídos na antiga Vila Operária, vem apresentando um processo de mudança das tipologias e edificações, verticalização, mudança de usos, sobretudo de residencial para comercial e diminuição da densidade populacional nos últimos anos. Da mesma forma, na porção não planejada pela Usiminas, o bairro Iguaçu, que teve suas primeiras ocupações em 1967, vem apresentando verticalização e também o surgimento de novos serviços e equipamentos urbanos, como instituições de ensino superiore e postos de atendimento de saúde pública.  Entretanto, diferentemente do Bom Retiro, o Iguaçu, assim como outros bairros projetados sem controle da Usiminas, muitas vezes ocupados por profissionais liberais ou pelo setor terciário, vem apresentando crescimento populacional, embora menos acentuado que nos anos anteriores, logo após a construção da Usina. Com o crescimento da cidade estão se consolidando os bairros que tomam a direção norte do município, onde a topografia e as propriedades das terras têm permitido.

A taxa de crescimento populacional, bastante diferenciada entre os bairros da antiga Vila Operária e os que compõem a cidade “extra-Plano”, vem seguindo a direção da ocupação de lotes vagos nos bairros, de novos loteamentos suburbanos e da mudança dos usos.

Assim, as edificações que possuíam uso residencial e passaram a ter uso comercial nas áreas da antiga Vila Operária, especialmente nas vias de circulação principail desses bairros têm contribuído para a diminuição do número de residências unifamiliares. Além disso, a fuga de alguns moradores para novos loteamentos mais distantes devido aos impactos nocivos à saúde causados pela poluição da Usina reforça a diminuição populacional nos bairros da Usiminas e o crescimento nos outros bairros mais distantes das chaminés dos altofornos.

A ocupação de lotes vagos tem contribuído para o adensamento dos bairros não-planejados pela Usiminas já que é muito maior nesses bairros do que na área destinada à antiga Vila, uma vez que foi utilizada quase a totalidade dos espaços favoráveis da topografia na ocupação do período correspondente à sua implantação. Como a área do município de Ipatinga já não consegue absorver toda a população que participa da dinâmica sócio-econômica da cidade, novos loteamentos vêm ocupando áreas dos municípios vizinhos e abrigando moradores que buscam qualidade de vida: mais distante das turbulências da cidade grande , mas com tranqüilidade e acessibilidade para usufruir dos benefícios que essa cidade pode oferecer.

Os vetores de crescimento seguem o processo de conurbação com os municípios Coronel Fabriciano, Santana do Paraíso e Belo Oriente já fazem parte da dinâmica sócio-econômica de Ipatinga. No Plano Diretor de Ipatinga (2006), algumas zonas de expansão estão delimitadas de modo a desapropriar terras da Usiminas. Isso pode descaracterizar o Plano Urbanístico de Hardy, assim como interferir no processo de resfriamento e filtragem da poluição da Usina, já que hoje são áreas verdes. Contrária à imposição do Plano Diretor, apoiada por muitos moradores e até mesmo por partidos políticos esquerdistas, a Usiminas abre um processo para deter essas alterações na malha urbana. Afirma que há inconstitucionalidade na ocupação dessas áreas do cinturão verde que favorecem a qualidade de vida dos moradores das proximidades da Usina. Nesse sentido, as transformações do espaço urbano de Ipatinga estão evoluindo de modo que algumas características arquitetônicas e urbanísticas idealizadas pelos arquitetos têm tomado caminhos diferentes. A Proposta do Plano Diretor foi considerada ilegal e necessário se faz que a sociedade esteja atenta à Construção do novo Plano em 2011.

As alterações das próprias casas, incluindo grades, segundo pavimento e mudança das tipologias em geral contribuíram para a mudança da paisagem. Entende-se ainda que quanto menor a renda do proprietário e melhor arquitetura das residências, no sentido de conforto térmico, acústico e de distribuição do espaço interno, menores são as alterações. Em relação à expansão da cidade, diferentemente da pensada por Hardy e Bhering que a pensaram seu sentido em direção ao lado oposto do rio Piracicaba, onde hoje é o Parque Estadual do Rio Doce, acabou crescendo no sentido contrário seguindo lógicas de especulação imobiliária e topografia.

EVOLUÇÃO DEMOGRÁFICA DO MUNICÍPIO DE IPATINGA

Fonte: IBGE/censo 2010 e fotos históricas.

A economia do município está apoiada na indústria e agropecuária, tendo contribuição também da área de turismo de negócio, o terceiro maior volume do Estado.

Diante dos dados do crescimento populacional é cabível certa preocupação em relação ao planejamento urbano da cidade, para evitar instalações humanas desordenadas, principalmente em áreas de risco. A ocupação desordenada das encostas é um agravante para a ocorrência de movimentos de massa (deslizamento de terra) que expõem a população aos desastres ambientais, com sérias conseqüências econômicas e sociais

Desastre é o resultado de eventos adversos sobre um ecossistema vulnerável, causando danos humanos, materiais ou ambientais e conseqüentes prejuízos econômicos e sociais. O crescimento populacional desordenado é um dos principais agravantes para a ocorrência de desastres em paísesem desenvolvimento. Semalternativa de habitação, a população de baixo poder aquisitivo tende a instalar-se em áreas de baixo valor econômico, como por exemplo, em encostas, que são terrenos em equilíbrio transitório, suscetíveis à remodelação por agentes naturais. A ocupação humana nas encostas muitas vezes leva à retirada da vegetação, à movimentação da terra, à alteração do regime de escoamento e infiltração e à deposição irregular de lixo e entulho, os quais as predispõem aos movimentos de massa do local.

RELIGIÃO:

Tal como a variedade cultural em Ipatinga, são diversas as manifestações religiosas presentes na cidade. Embora tenha se desenvolvido sobre uma matriz social eminentemente católica, é possível encontrar atualmente na cidade dezenas de denominações protestantes e alguns professam outras crenças. Além disso o crescimento dos sem-religião também vem sido notada chegando a quase de 11% da população.

.ECONOMIA:

O Produto interno bruto – PIB de Ipatinga é o maior da Região Metropolitana do Vale do Aço e o 71º de todo Brasil, destacando-se na área da industria. Nos dados do IBGE de 2006, o município possuía R$ 5 509 973,00 mil no seu Produto Interno Bruto e o PIB per Capita de R$ 23.113,00.

De todo o PIB da cidade, 1.299 mil reais é o valor adicionado bruto da agropecuária (setor primário), 2.664.623 mil são da indústria (secundário), 53.074 mil são de impostos sobre produtos líquidos de subsídios e 1.992.439 mil são de prestações de serviços (terciário).

O setor secundário atualmente é a principal fonte geradora do PIB ipatinguense. Cerca de 20 a 30% da produção industrial do município é gerada pela Usiminas – Usinas Siderúrgicas de Minas Gerais – e sua subsidiária a Usiminas Mecânica (USIMEC), produtora de estruturas metálicas (dentre as quais estão as da célebre ponte JK em Brasília), máquinas pesadas e vagões de trens. A siderúrgica foi criada, pelo Plano de metas do Presidente Juscelino Kubstichek de Oliviera., que previa a construção de uma usina de grande porte, para produzir aço. A Usiminas exerce, uma grande participação na cultura e na vida ativa da cidade, tendo interferido, inclusive, em seu planejamento urbano.

De acordo com o IBGE, a cidade possuia no ano de 2007 6.453 empresas e 134.026 trabalhadores, sendo 71.125 pessoal ocupado total e 62.901 ocupado assalariado. Salários juntamente com outras remunerações somavam 1.030.090 reais e o salário médio mensal de todo município era de 3,4 salários mínimos.

Vista do trevo proximo ao “Lamegão”          FONTE: Prefeitura Municipal de Ipatinga

100% da cidade conta com abastecimento de água e coleta de esgosto e energia elétrica. 98% de suas vias são asfaltadas. O município conta ainda com um dos maiores índices de área verde por habitante do Brasil. São 127 km² de áreas verdes por habitante. O índice de analfabetismo é de apenas 2,8% e a mortalidade infantil 14,40/1.000.

No ano de 2000, Ipatinga possuia 56.027 domicílios, entre apartamentos, casas, e cômodos. Desse total, 38.824 eram imóveis próprios, sendo que 36.467 eram próprios já quitados (65,09%); 2.357 próprios em aquisição (4,21%) e 11.607 eram alugados (20,72%); 5.440 imóveis foram cedidos sendo que 300 haviam sido cedidos por empregador (0,54%); 5.140 foram cedidos de outra maneira (9,17%) e 156 eram de outra forma (0,28%) 63.297 dessas residências localizam-se em área urbana e 438 na estão na zona rural.

Ipatinga possuia no ano de 2005 125 estabelecimentos de saúde, sendo 99 deles privados e 26 municipais entre hospitais, pronto-socorros, postos de saúde e serviços odontológicos. A cidade possui ainda cerca de 561 leitos para internação em estabelecimentos de saúde. A taxa de mortalidade era de 3,60/1000 em 2005.

O índice de dentes cariados, perdidos e obturados, em crianças com menos de 12 anos no ano de 2005 era de 0,56, sendo comparável ao índice da Organização Mundial da Saúde – OMS do ano de 2010, que é de 1,00. Existem 89 Dentistas na rede municipal de saúde e são realizados e média 135 atendimentos diários e 13.880 mensais.

Situa-se no município um dos melhores hospitais da região. O hospital Márcio Cunha está localizado no Bairro das Águas, foi inaugurado em 1965 pela Usiminas. É o primeiro no País a ser certificado com excelência nos critérios do Manual das Organizações Prestadoras de Serviços Hospitalares da Organização Nacional de Acreditação (ONA). No ano de 2003, alcançou nível máximo de excelência da ONA.

A cidade de Ipatinga, em 2008, contava com 26 instituições dos ensinos Fundamental e Médio em escolas estaduais; 36 instituições municipais de educação (Educação Infantil e Ensino Fundamental); 76 instituições particulares de Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio. Para aumentar ainda mais a qualidade da educação ipatinguense, a prefeitura organiza projetos de alfabetização e inclusão social e oferece atendimento de creche e educação infantil também em rede conveniada ( intituições sem fins lucrativos que oferecem atendimento a famílias de baixa renda).

O município ainda conta com diversas instituições de ensino superior. São algumas delas a Universidade Presidente Antônio Carlos – UNIPAC; a Faculdade Pitágoras; Centro Universitário do Leste de Minas Gerais (Unileste – MG); Faculdade de Direito de Ipatinga; Faculdade de Tecnologia; União Educacional do Vale do Aço; Faculdade Evangélica de Teologia; Faculdade Pereira de Freitas, dentre outras. Ambas destacam-se na diversidade de cursos oferecidos no município, com destaque para Engenharia, Letras e Direito. Há ainda, a Universidade Aberta.

Como na maioria das médias e grandes cidades brasileiras, a criminalidade também é um problema em Ipatinga. Em 2006 a taxa de homicídios no município foi de 15,8%. O índice de óbitos por arma de fogo, após apresentar aumento entre os anos de 2002 e 2004, começou a baixar em 2005, sendo de 13,9 em2006. A taxa de óbitos por acidentes de transito que era de 11,9 em 2002, aumentou para 14,9 em 2006.

O município possui vários serviços das polícias civís e Militar, como a Delegacia Regional de Polícia Civil; Delegacia Adjunta de Plantão; Delegacia Adjunta de Falsificações e Defraudações; Delegacia Adjunta de Furtos e Roubos; Delegacia Adjunta de Crime Contra a Mulher e Orientação ao Menor; Delegacia Adjunta de Trânsito; Delegacia Adjunta de Apoio ao Juizado Especial Criminal; Delegacia Adjunta de Crimes Contra a Vida; Delegacia Adjunta de Tóxicos e Entorpecentes; 2ª CIRETRAN de Ipatinga; 12ª Regional da Polícia Militar e 14° Batalhão da Polícia Militar do estado de Minas Gerais.

Situa-se em Ipatinga o Centro de remanelamento de presos – CERESP. Foi inaugurado em 23 de março de 2001 e está construído em uma área total de 1.055 m2 e possui 27 celas (22 comuns, três especiais, uma mulher, uma menor), sendo seis a capacidade total de detentos por cela. Conta ainda com parlatório; sala do Delegado; sala de expediente; quatro guaritas; almoxarifado e estacionamento.

O serviço de abastecimento de água e coleta de esgoto é feito pela Companhia de Saneamento de Minas Gerais – COPASA. Esta empresa atua na cidade desde 1974. no ano de 1997 a companhia assumiu os serviços de esgotamento sanitário, antecipando, assim, a renovação do contrato de concessão do sistema de abastecimento de água, onde irá atuar até 2022. No município, assim como em toda a região, o serviço de abastecimento de energia elétrica é feito pela Companhia Energética de Minas Gerais – CEMIG, contratada em 1965. O recolhimento de Resíduos sólidos é realizado pela prefeitura municipal através de uma empresa terceirizada, que transporta toda a produção para o aterro sanitário localizado na divisa com Caratinga. De acordo com a própria prefeitura, são recolhidos diáriamente em Ipatinga 640 toneladas de lixo, sendo 140 ton. lixo Domiciliar, comercial e público; 19 ton. de resíduos por compostagem; 480 ton. resíduos Inertes (entulho, terra, capina) e 1 tonelada de lixo hospitalar.

No município ainda há serviços de internet discada e banda larga (ADSL) sendo oferecidos por diversos provedores de acesso gratuitos e pagos. A Oi é a única empresa que oferece o serviço de telefonia fixa. O serviço telefônico móvel, por telefone celular, é oferecido pela Oi, Vivo, Claro,Telemig e Tim.  O código de área (DDD) de Ipatinga é 31. O Código de Endereçamento Postal (CEP) da cidade vai de 35160-001 até 35164-999.

Além da cidade de Ipatinga ser sede da TV Cultura Vale do Aço, que retransmite a programação da TV Cultura e da Rede Minas, o município ainda recebe sinais de televisão aberta de várias outras emissoras de televisão. Os principais canais de TV transmitidos são a Band Minas (sede em Belo Horizonte, afiliada a Rede Bandeirantes); TV Alterosa (sede em Belo Horizonte, afiliada ao Sistema Brasileiro de Televisão – SBT); InterTV dos Vales (sedes em Coronel Fabriciano e Governador Valadares, afiliada a Rede Globo); TV Leste (sede em Governador Valadares, afiliada a Rede Record); Rede Vida (sede em São José do Rio Preto) e Canção Nova. O município conta ainda com vários jornais em circulação. No ano de 2004, eram 6 no total. Os principais, por terem importância regional, são os Jornais do Vale do Aço e o Diário do Aço. Em 2001 foram contabilizadas 5 emissoras de rádio de acordo com a Associação Mineira de Rádio e TV e a Telecomunicações de Minas Gerais S.A.

Ipatinga tem uma boa malha rodoferroviária que a liga a várias cidades do interior mineiro e até a capital. Em Ipatinga está localizado o Aeroporto da Usiminas (IATA: SBIP – ICAO: IPN), um dos maiores do estado, O município ainda possui fácil acesso a BR-458 e MG-425, e tem acesso a rodovias de importância estadual e até nacional através de rodovias vicinais pavimentadas e com pista dupla, como a Avenida Pedro Linhares Gomes, trecho da BR-381(saída para Coronel Fabriciano e Belo Horizonte e caminho para Valadares e a BR 116), estradas que ligam Ipatinga às cidades próximas, BR/MG 232- saída para Santana do Paraíso; BR 458 – saída para Caratinga e outras cidades do litoral;

 

FONTE: IMAGEM DE SATÉLITE

Atualmente As avenidas duplicadas e pavimentadas melhoram o trânsito da cidade, possibilitando maior movimento dos veículos. As vias são bem sinalizadas. O crescimento no número de veículos de Ipatinga nos últimos dez anos está causando um movimento cada vez mais lento de carros, principalmente na Sede do município.

Ipatinga conta com o Aeroporto da Usiminas, um dos maiores do estado. Apesar de pertencer a Usiminas e a cidade de Ipatinga, o aeroporto encontra-se no município de Santana do Paraíso, a 6 km do centro da cidade, atendendo não só às duas cidades, como também toda a Região Metropolitana do Vale do Aço, com vôos diários para Belo Horizonte e outros destinos. O aeroporto mais próximo do aeroporto da Usiminas, é o Coronel Altino Machado de Oliveira, na cidade de Governador Valadares, localizada a cerca de 100km de Ipatinga.

Há um projeto da Usiminas para a construção de uma nova unidade industrial em Santana do Paraíso. Se colocado em prática, o projeto prevê a destruição deste aeroporto, que seria substituído por um novo em Bom Jesus do Galho, no distrito de Revés de Belém. Mas por motivos ambientais a obra deve ser transferida para Belo Oriente. O projeto, entretanto, foi atrasado pela ocorrência da Crise econômica de 2008-2009.

FONTE: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ficheiro:DDM45_861_EFVM_Vinicius_Secchin.JPG

Serviço ferroviário: trem na Estação Ferroviária Intendente Câmara.

Ipatinga possui uma estação ferroviária: a Intendente Câmara. Localizada a beira da BR-381, foi inaugurada em 18 de junho de 1960, tendo recentemente passado por uma grande ampliação de sua capacidade devido ao crescimento da população da cidade. Após essa reforma, a estação passou a ser uma das maiores da Estrada de Ferro Vitória a Minas. É importante ainda para a economia municipal, pois é uma alternativa para o escoamento da produção da Usiminas e recebimento de matéria-prima destinada à empresa. Com um projeto de expansão da Usiminas, houve a necessidade de aumentar a infraestrutura da estação e a construção de uma terceira linha na ferrovia.

Dentre as alternativas de transporte coletivo regulares, a EFVM é a via de viagem mais barata possível para várias cidades da Mesorregião Metropolitana de Belo Horizonte, Leste mineiro e Espírito Santo, como Belo Horizonte, João Monlevade, Governador Valadares, Resplendor, Baixo Guandu, Colatina, Região Metropolitana de Vitória, dentre outras cidades com estações.

Assim como em grande parte dos municípios brasileiros, em Ipatinga o principal meio de transporte é o terrestre e o meio de transporte mais utilizado é o automóvel. A cidade conta ainda com uma das maiores estações rodoviárias da região, localizada na Região Central da Cidade. É atendida com saídas diárias regulares para as principais cidades de Minas Gerais, e mesmo para fora do estado.

O transporte coletivo do município é feito por apenas uma empresa: a Autotrans (substituíndo a Viação Águia Branca). A Autotrans ainda atende os municípios vizinhos (Coronel Fabriciano e Timóteo) A empresa que faz concorrência, em parte, é a UNIVALE que presta serviço intermunicipal  na regiaõ metropolitana. De acordo com dados da prefeitura, o sistema de transporte coletivo de Ipatinga é composto de 64 linhas com extensão de aproximadamente 670km, utilizando uma frota de 117 veículos que transporta em média cerca de 1.286.000 milhões de passageiros por mês. A Univale Transportes interliga todo o Vale do Aço e parte do colar metropolitano.

A administração municipal é exercida pelos 3 poderes: poder executivo,, poder legislativo e poder judiciário. Em Ipatinga, o Poder executivo é representado pelo prefeito e secretários, em conformidade ao modelo proposto pela Constituição Federal. O Poder legislativo é constituído à câmara, composta por 14 vereadores eleitos para mandatos de quatro anos em observância ao disposto no artigo 29 da Constituição.. Cabe à casa elaborar e votar leis fundamentais à administração e ao Executivo, especialmente o orçamento participativo (Lei de Diretrizes Orçamentárias). Conquanto seja o poder de veto assegurado ao prefeito, o processo de votação das leis que se lhe opõem costuma gerar conflitos entre Executivo e Legislativo. O Poder judiciário, cuja instância máxima é o Supremo Tribunal Federal, por sua vez é responsável por interpretar a Constituição federal. O município de Ipatinga possui Lei Orgânica que foi construída observando-se a Constituição Federal  e  Lei Estadual. A instância Estadual e Municipal não podem ferir a Lei Federal ( Constituição de 1988).

Em 2009 devido à crise política e impossibilidade de posse do !º colocado nas Eleições de 2008 (Chico Ferramenta) e a cassação do  2º colocado ( Sebastião Quintão), em 27 de fevereiro de 2009 o sindicalista e político Robson Gomes da Silva, que era presidente da câmara de vereadores da cidade toma posse até que se realizem novas eleições. Em abril de 2010 a justiça ddecreta a realização de eleição extemporãnea em Ipatinga, marcadas para o dia 30 de maio de 2010. Robson Gomes deixa o cargo para se candidatar. Em 28 de abril de 2010 foi empossado o Presidente da Câmara, Nilton Manoel, como novo prefeito interino de Ipatinga.. A eleição foi realizada e aguardamos a posse daquele que a justiça definir. Nas urnas venceu, Robson Gomes. De acordo com o TRE-MG (Tribunal Regional Eleitoral), o município possuia em 2008 cerca de 156.164 eleitores. A cidade é ainda a sede de uma Comarca.

Cidades-irmãs é uma iniciativa do Núcleo das Relações Internacionais, que busca a integração entre a cidade e demais municípios nacionais e estrangeiros. A integração entre os municípios é firmada por meio de convênios de cooperação, que têm o objetivo de assegurar a manutenção da paz entre os povos, baseada na fraternidade, felicidade, amizade e respeito recíproco entre as nações.

Ipatinga possui 2 cidades irmãs. São elas:

Marlboro (  Estados Unidos – MA, 2009)

Kitakyushu, (  Japão, 1978)

Principais ruas e avenidas:

Avenida 28 de Abril

Avenida Brasil

Avenida João Valentim

Avenida José Júlio da Costa

Avenida José Selim de Sales

Avenida Juscelino Kubitschek

Avenida Pedro Linhares Gomes

Avenida Usiminas

Rua Fernando de Noronha

Alguns pontos turísticos:

A cidade de Ipatinga destaca-se em seu turismo. A Usiminas, juntamente com a prefeitura vem investindo no turismo de negócios. Atuamente, o município já é o terceiro maior de todo estado de Minas Gerais nesse setor turístico, ficando atrás de Uberlândia e Juiz de Fora. Quanto ao lazer, o município possui ainda diversas atrações turísticas em seu território, sendo em área rural ou na zona urbana de Ipatinga. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria Hoteleira (ABIH), existiam no ano de 2000 cerca de 37 hoteis em toda cidade Ipatinga, juntamente com Açucena, Belo Oriente, Coronel Fabriciano, Jaguaraçu, Marliéria, Santana do Paraíso e São Domingos do Prata faz parte do Circuito Turístico Mata Atlântica de Minas Gerais, que foi criado em dezembro de 2009 pela Secretaria de Estado de Turismo com o objetivo de estimular o turismo ecológico na região

Shopping do Vale do Aço:  

Um dos mais importantes empreendimentos comerciais da região com lojas, áreas de lazer, de alimentação e espaço cultural. Com mais de 10 anos e 2 expansões o Shopping do Vale se concretiza como o maior centro de compras do leste mineiro. Conta ainda com duas salas de cinema.

Aterro Sanitário:

O local que antes recebia o lixo produzido em Ipatinga foi desativado e transformado em área de educação ambiental da cidade e que recebe cerca de 1.500 visitantes por mês. Está localizado no município de Caratinga, porém pertence a cidade de Ipatinga.

Parque das Cachoeiras:

Área de 5 milhões de m²,situa-se na Estrada do Ipaneminha, distante 10km do centro.

Clube particular de lazer e entretenimento numa bela área de preservação ambiental. Conta com trilhas de Caminhada, quadras Esportivas, campo de Futebol society, playground, área de Camping, bares e Restaurantes, capela ecumênica, cachoeiras com Piscinas Naturais e Artificiais, chalés além de outras atrações.

Kartódromo Emerson Fittipaldi:

(Kart Clube Ipatinga – KCI) foi inaugurado em outubro de 1982, sendo seu nome uma homenagem ao piloto brasileiro bicampeão da Formula Um, Emerson Fittipaldi. Com traçado veloz, área de escape em todo circuito e desenho seletivo , a pista do KCI está qualificada como das melhores do mundo, onde já foram realizados 5 (cinco) campeonatos brasileiros e 19 campeonatos mineiros. Em 3 de janeiro de 1983 foi fundada uma escola para pilotos inicinates, anos mais tarde rabatizada de Escola de Pilotagem Ayrton Senna. Cerca de 500 pilotos já aceleraram nesta pista internacional e muitos deles foram destaques no mundo do kart. Dominaram as máquinas e conquistaram títulos que divulgaram junto com o esporte o nome da cidade de Ipatinga e consolidaram o KCI como um dos melhores do Brasil. Seu recorde de público foi de 50 000 estabelecido em 1985. O melhor tempo foi feito por Cláudio Cantelli – PR, com 42min9s no ano de 2005.

O Kartódromo Emerson Fittipaldi, foi eleito um dos 3 mais importantes circuitos do Brasil, além do Ipatinga Open, que é uma das competições de Kart mais disputada do país.

Clube Náutico Alvorada (Lagoa Silvana):

Área de lazer e entretenimento que tem como principal atração a Lagoa Silvana, local de banhos, pesca esportiva e passeios de barcos e jet-ski. O Clube foi criado pela Usiminas para atender à população de Ipatinga e região, apesar de estar localizado no município de Caratinga. Já sediou etapas do campeonato brasileiro de Motonaútica. Conta com praia artificial, toboágua, parque aquático infantil, galpões para churrasqueiras, área de camping, pousadas/chalés, polígono de Tiro, plataforma, restaurantes e lanchonetes, Pista para Prática de Aeromodelismo além de várias Praças e Jardins.

Estádio Municipal Epaminondas Mendes Brito – Ipatingão –

PASSOU A SE CHAMAR ESTÁDIO MUNICIPAL JOÃO LAMEGO NETO  (LAMEGÃO), EM  ABRIL DE 2011

O Ipatingão foi inaugurado no dia 13 de novembro de 1982, com um jogo amistoso entre a Seleção de Ipatinga e o Cruzeiro, Estádio Municipal Engenheiro Epaminondas Mendes Brito O nome do estádio, antes chamado informalmente de ‘Lamegão’ (numa alusão ao ex-prefeito João Lamego Netto), foi substituído através da Lei 780, de dezembro de 1982. Foi uma homenagem ao trabalhador e legislador ipatinguense Epaminondas Mendes Brito. Em abril deste ano (25/04/2011), após o falecimento do Ex-prefeito João Lamego, o estádio municipal passou a se chamar Estádio Municipal João Lamego Neto, o “Lamegão”.

 É o terceiro maior estádio de futebol de Minas Gerais com capacidade para 27 mil pessoas e já sediou partidas de nível nacional e internacional. O estádio possui 25 cabines para imprensa (rádio, TV, jornais), Tribuna de Honra, camarotes, vestiários para clubes e vestiário para árbitro, 2 placares eletrônicos, departamento médico, salas para polícia militar e para a Federação Mineira de Futebol. O gramado oficial máximo está capacitado para jogos internacionais (110 X 75) e conta com moderno sistema de irrigação subterrânea.

USIPA:

É uma área de preservação ambiental da Usiminas com acesso restrito a grupos de estudo, alunos e pesquisadores. O clube, no entanto, é aberto ao público. Possui alojamento para atletas, parque aquático, piscina olímpica Aquecida, Centro de, pista de atletismo, ginásio coberto, estádio de futebol, área de treinamento de voleibol, pista de malha, quadras esportivas além de um centro de biodiversidade que conta com um Zoológico que possui cerca de 500 animais de 36 espécies, trilhas ecológicas, jardim botânico, lagoas e playground, projeto “Xerimbabo” de educação ambiental. Centro de Biodiversidade: Zoológico com mais de 490 animais das mais variadas espécies. Localizando no Parque Zoobotânico da Usipa.

Parque Ipanema:

É uma das maiores áreas verdes do país situada dentro de um perímetro urbano. Com mais de 1 milhão de metros quadrados, cerca de 12 mil árvores plantadas e localizado bem no centro da cidade é uma área aberta a toda a população. O complexo de lazer foi uma das últimas “obras de arte” do paisagista Roberto Burle Marx, e oferece área de lazer com pista para caminhada e ou corrida, lago com ilha, cata-ventos, brinquedos, anfiteatro e quadras poliesportivas. Recentemente foi instalado um palco para apresentação de shows e espetáculos, dentro da lagoa. Construído com troncos de eucalipto e assoalho tipo deque, mede 383 metros quadrados. Conta com quadras poliesportivas, campos de futebol, lago com Cata-vento, pista de Cooper e ciclovias, anfiteatro, Farmácia Verde, Horto Municipal, Centro Esportivo e Cultural 7 de Outubro, Ginásio Poliesportivo Eli Amâncio, playground, auditório, Parque da Ciência, estação meteorológica e biblioteca ecológica (Ecoteca). Os moradores de Ipatinga e de outras cidades da região são frequentadores assíduos do Parque Ipanema. O local possui iluminação, sinalização, sanitários, bebedouros e lixeiras de polietileno.

Horto Municipal: Abastece de mudas o departamento de parques e jardins e sedia o projeto FArmácia Verde com distribuição de plantas fitoterápicas – Localiza-se no Parque Ipanema.

Lago do Parque Ipanema: Lago com9.347 m² e uma ilhota com aceso por duas passarelas de madeira.

Estrada de Ferro Caminho das Águas: É uma pequena estrada de ferro localizada na margem direita do Ribeirão Ipanema. A esquerda da ferrovia está o Parque Ipanema. Seu caminho é percorrido por uma locomotiva a vapor de origem alemã, de 1937, que carrega dois vagões com capacidade total para 68 passageiros cada. A locomitiva percorre seus2,6 quilômetros de trilhos (5,2 km de ida e volta). Nela está a Estação Ferroviária Pouso de Água Limpa.

Estação Memória:

Foi construída em 1930 e desativada em 1951. Reinaugurada em 1992 como Estação Memória, passou a ser um núcleo referencial de preservação e proteção da memória cultural do município. Seu acervo documental inclui registros de diferentes momentos culturais, políticos e artísticos de Ipatinga, reproduções de documentos manuscritos e impressos, livros e revistas relacionadas à cidade de Ipatinga, objetos originados da Vale e obras de arte inspiradas na cultura local. Além de tratar de uma unidade de memória, desenvolve projetos voltados para as artes, especialmente as plásticas. Aberta diariamente para visita e pesquisa sobre a história regional.

Centro Esportivo e Cultural 7 de Outubro:

Foi inaugurado em 1991, com objetivo de socializar a prática de esporte no município, para atender crianças, adolescentes e grupos da Terceira Idade de baixa renda, oferecendo escolas de aprendizagem em várias modalidades como: Basquete, voleibol, handebol, futsal, futebol de campo, capoeira, karatê, judô, xadrez, damas, teatro, taekwon-do, dança, ginástica olímpica, trampolim acrobático, Iniciação desportiva universal-IDU e atividades para a terceira idade. Atende aproximadamente 3.000 alunos e é mantido pela Prefeitura Municipal de Ipatinga, através de convênio celebrado com o Centro Universitário do Leste de Minas Gerais – UNILESTE.

Ipatinga não possui muita tradição em artesanato. Porém não podemos deixar de destacar o Congado do Ipaneminha e sua tradicional dança das fitas. As festas populares do Boi Balaio e o festival da banana que acontece anualmente no Pedra Branca. As festas Juninas com comidas típicas e quadrilhas bem ensaiadas, resgatam  parte de nossa cultura. Em 1983, Nasce no Bom Jardim, o Grupo Cultural Roda Viva, responsável pelo Festival e oficinas culturais, precisamos resgatá-lo.

 No município destaca-se principalmente as áreas teatrais e artísticas, sendo referência regional nesses setores. Uma das principais instituições que promovem diversas atividades artísticas e culturais é o Centro Cultural Usiminas, que apesar de ter sede na cidade, possui grande abrangência regional e leva para várias cidades vizinhas uma programação diversificada.

Em 2009 a Lei Estadual de Incentivo à Cultura aprovou 68 projetos de Ipatinga, num total de 81 procedentes das cidades do Vale do Aço, região que integra, segundo a visão de membros da comissão que administra a aplicação da Lei, o segundo maior pólo cultural do estado. [

O teatro do Centro Cultural Usiminas, é considerado um dos mais modernos do país. Possui capacidade para 720 pessoas e é dotado de equipamentos cenotécnicos e de sonorização do mais alto padrão. Além disso, possui tratamento acústico, piso flutuante (palco com amortecedores) e quarteladas móveis, fosso para orquestra de 37m², palco com boca de cena de 7,30 x12,70 m, dimensões internas de 26 x17,60 me urdimento de21 metros. Localiza-se logo ao lado do Shopping do Vale do Aço. No Centro Cultural ainda ocorre anualmente, desde 1998, o Ipatinga Live Jazz. É o maior festival de jazz de todo interior do estado de Minas Gerais. É realizado por Valéria Altoé, conta com patrocínio da Usiminas e apoio do Governo de Minas Gerais através da Lei Estadual de Incentivo à Cultura e apoio ainda de várias grandes empresas. Em todas suas edições, o festival celebradou várias personalidades do jazz, como Art Tatum, Chick Corea e Miles Davis, ambos relembrados na décima edição, ocorrida em 2008.

Estação Cultural Museu do Aço: Espaço Cultural com 8 mil m², abriga museu e biblioteca. Está situado no Parque Ipanema.
Escola de Música Tenente Oswaldo Machado / TOM: Inaugurada em 1994, promove diversos cursos e patrocina a Banda Municipal e corais infantil, juvenil e adulto.

Escola Muncipal de Iniciação Teatral 7 de Outubro: Inaugurada em 1995, promove cursos de expressão corporal, vocalização, interpretação, improvisação, criação, história do teatro e montagem.

Biblioteca Pública Municipal de Ipatinga: Funciona de 2ª a 6ª feira de 8:00h às 17:00h – Rua Mariana, 119 – tel: 3821-1020

Esportes:

Ipatinga ainda é destaque na área esportiva.Em 26/03/88  a nadadora ipatinguense Fernanda Ferraz, da Usipa, é ouro nos 200m costa, nos Jogos Pan-americanos da Colômbia. Conquista também uma medalha de prata e uma de bronze.Em 08/08/91, Edilene Aparecida, judoca da Usipa, conquista medalha de bronze em Havana, Cuba, nos Jogos Pan-americanos.Na natação, a USIPA revelou também a medalhista de prata e bronze no Jogos Pan-Americanos de 2007, realizados na cidade do Rio de Janeiro, Flávia Delaroli. Nas Olimpíadas de 2008 realizadas em Pequim, China, Flávia disputou vaga para a final dos50 m livre, mas ficou em 22º lugar e foi eliminada.

Na cidade ainda destaca-se o JIMI (Os Jogos do Interior de Minas Gerais). É a maior e mais tradicional competição do esporte especializado realizada em Minas Gerais, organizada pela Secretaria do Estado de Desenvolvimento Social e Esporte (SEDESE), através da Subsecretaria de Esportes, desde 1985. Os jogos têm como objetivo promover o desenvolvimento da cultura esportiva no estado. A realização dos jogos é um estímulo para que os municípios envolvidos atuem ativamente em políticas sustentáveis de incremento ao esporte. Assim, são criadas oportunidades para a prática esportiva nas comunidades onde os Jimi são realizados, além de movimentar a economia local gerando vários empregos nas cidades-sede. Por tratar-se de evento de grande abrangência territorial é realizado em três etapas, culminando em fase final única. A participação de Ipatinga sempre foi destaque: a cidade é pentacampeã geral dos jogos de 1997 a 2001 e vice-campeã em 2002, 2003 e 2005. O título de campeão do ano de 2005 rendeu à equipe de handebol masculino de Ipatinga o direito de representar o estado na XV edição dos Jogos Abertos Brasileiros (JAB’S), realizado no mês de maio de 2006 na cidade de Nova Friburgo, estado do Rio de Janeiro. A equipe ipatinguense ficou em 5º lugar geral na competição.

Futebol:

Jogo entre Ipatinga e Vasco realizado dia 28 de novembro de 2009 no Ipatingão.

Em Ipatinga destaca-se o Ipatinga Futebol Clube, fundado em 1998. Em 2005, conquistou o título do Campeonato Mineiro de Futebol, derrotando o Cruzeiro Esporte Clube. O time de futebol volta a se destacar em 2006, chegando as semifinais da Copa do Brasil, o segundo maior torneio de futebol do país. Nesta ocasião a equipe do Ipatinga Futebol Clube foi eliminada pelo Flamengo logo depois de, em uma situação inusitada, ter vendido o seu técnico e alguns de seus principais jogadores para o time que o derrotou. Já em 2007, a equipe conquista o vice-campeonato da Série B do Campeonato Brasileiro de Futebol, subindo para a elite do futebol brasileiro. Em 2008, o Ipatinga Futebol Clube é rebaixado no campeonato mineiro e no Brasileiro. Em 2010, apesar da ótima campanha no Campeonato Mineiro de Futebol 2010, perdeu para o Atlético Mineiro nas finais, ficando com a segunda posição.

Além do Ipatinga, a cidade possui outros pequenos clubes, como a Associação Atlética Aciaria; o Ideal Futebol Clube; a Liga de Desportos de Ipatinga, dentre outros.

Em Ipatinga também existem diversos estádios, como o Ferreirão; estádio da USIPA; Estádio João Teotônio Ferreira e o Estádio Municipal Epaminondas Mendes Brito, mais conhecido como Ipatingão. Foi inaugurado em 23 de novembro de 1982 e possui capacidade para 20.500 pessoas, porém seu recorde de público foi de 25.000, em 7 de abril de 1996, no clássico entre Cruzeiro e Atlético Mineiro.Há ainda espaços cobertos como o estádio coberto Ely Amâncio..

TODO CONTEÚDO DA PESQUISA, DESTINA-SE A UTILIZAÇÃO DIDÁTICA.

Referências

http://www.igam.mg.gov.br/comites-de-bacias/unidades-de-planejamento/155?task=view   Bacia do Rio Doce.

http://www.cbhpiracicaba.org.br/ – Comitê da Bacia do Rio Piracicaba.

http://sesuma.ipatinga.mg.gov.br/cod_ambiental_vis.asp?cd=41 Sesuma – Prefeitura municipal de Ipatinga. Legislaçao Ambiental.

http://www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=857  Construir notícias. Brasil, o país de maior biodiversidade do mundo.

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=585491Ipatinga, MG – A construção de uma cidade (fotos históricas).

http://www.ahmg.com.br/index.asp?Metodo=ExibirDet&Chave=1208 AHMG – Associação de hospitais de Minas Gerais (Agosto – Setembro/2003). Hospital Márcio Cunha, em Ipatinga, alcança nível máximo de excelência da ONA

 http://www.copasa.com.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?infoid=849&sid=129 Copasa. Cemig Rio Doce será despoluído com o tratamento dos esgotos de Ipatinga.

http://www.camaraipatinga.mg.gov.br/cmi_v4/noticias.php?id=2726 Câmara de Ipatinga. Cemig garante permanência de serviços em Ipatinga.

http://www.guiatel.com.br/info_mg1.htm  Guiatel. Minas Gerais.

Prefeitura. Informações úteis de Ipatinga

.http://www.ipatinga-mg.com.br/info.phpLowcostPlanet. Aeroportos: South America: Brazil: Ipatinga: Ipatinga (IPN – Usiminas)

http://abetran.org.br/index.php?option=com_content&task=view&id=10536&Itemid=2Abetran (31 de agosto de 2009). MG – BR-381 – Obras do gasoduto deixam o trânsito lento em Ipatinga

http://www.emsampa.com.br/wardest_govaladares.htmEm Sampa. Governador Valadares – MG

http://www.jusbrasil.com.br/politica/2056629/governador-anuncia-construcao-do-aeroporto-da-usiminas Pedro, Wellington (2009-03-19). Governador anuncia construção do aeroporto da Usiminas

http://www.estacoesferroviarias.com.br/efvm/intendente.htm Estações ferroviárias do Brasil (25 de fevereiro de 2010). E. F. Vitória a Minas – Intendente Câmara, município de Ipatinga.

http://portalexame.abril.com.br/ae/negocio/m0136039.html Portal Exame (14 de agosto de 2007). Vale quer aumentar capacidade de transporte de minério.

http://urbanosdeminas.fotopages.com/?entry=992755 Urbanos de Minas (24 de novembro de 2006). Urbanos em Ipatinga – Autotrans (em Português). Gustavo Ribeiro.

http://g1.globo.com/Noticias/Politica/0,,MUL1022008-5601,00.htmlG1 (28 de fevereiro de 2009). Prefeito de Ipatinga (MG) é cassado, e presidente da Câmara assume cargo.

http://www.plox.com.br/caderno/política-e-economia/robson-se-afasta-e-nilton-manoel-assume-prefeitura-de-ipatingaPlox (29 de abril de 2010). Robson se afasta e Nilton Manoel assume prefeitura de Ipatinga.

http://www.tvsupercanal.com.br/noticias/tre-aprova-novas-eleicoes-em-ipatingaTribunal Regional Eleitoral – TRE. TRE aprova novas eleições em Ipatinga. Novo Canal.

http://www.tjmg.jus.br/juridico/sf/comarcas.htmlTribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. Lista de Comarcas do Estado de Minas Gerais

http://braziliantimes.com/noticia/3211,comunidade_brasileira,ATIVISTAS+QUEREM+MARLBORO++MA+COMO+CIDADEIRMA£+DE+IPATINGA.htmlBrazil Times (23 de novembro de 2009). Ativistas querem Marlboro – MA como cidade-irmã de Ipatinga.

http://www.camaraipatinga.mg.gov.br/cmi_v4/detalnorma.php?idnorma=623Prefeitura Municipal de Ipatinga. Lei Nº 618 de 24/07/1978.

http://www.brasilchannel.com.br/municipios/mostrar_municipio.asp?nome=Ipatinga&uf=MGBrasil Channel. Ipatinga – MG – Dados gerais – Características

http://www.ief.mg.gov.br/noticias/1/875-circuito-mata-atlantica-avanca-mais-um-passo-para-oficializacao Instituto Estadual de Florestas (IEF). Circuito Mata Atlântica avança mais um passo para oficialização

http://www.ief.mg.gov.br/noticias/1/875-circuito-mata-atlantica-avanca-mais-um-passo-para-oficializacao  William Saliba (20 de dezembro de 2009). Circuito turístico é certificado (em português). Hoje em Dia Portal de Ipatinga. Shopping do Vale do Aço

http://www.diariodoaco.com.br/noticias.aspx?cd=14058  Jornal Vale do Aço  Região tem 81 projetos culturais aprovados

http://olimpiadas.uol.com.br/2008/atletas-brasileiros/natacao/flavia-delaroli.jhtm UOL Olimpíadas 2008. Flávia Delaroli.

http://www.plox.com.br/caderno/esportes/ipatinga-estuda-convite-do-estado-para-sediar-etapa-do-jimi-2010  Plox (21 de novembro de 2009). Ipatinga estuda convite do Estado para sediar etapa do Jimi 2010.

http://www.jbipatinga.com.br/online/?p=1390  Jornal dos Bairros (27 de fevereiro de 2010). Velocidade de volta ao Kartódromo Emerson Fittipaldi.

http://globoesporte.globo.com/futebol/campeonatos-estaduais/campeonato-mineiro/  O Gol. Ipatinga Futebol Clube. Globo Esporte. Atlético-MG vence Ipatinga e levanta a taça.

http://www.ogol.com.br/estadio.php?id=1574 O Gol. Municipal Epaminondas Mendes Brito (Ipatingão).

http://www.guiatrabalhista.com.br/tematicas/carnaval.htm Sérgio Ferreira Pantaleão. Carnaval – é ou não feriado? folga automática pode gerar alteração contratual .Guia Trabalhista.

http://www.guiatrabalhista.com.br/legislacao/l9093.htm Guia Trabalhista. Lei Nº 9.093, de 12 de setembro de 1995

http://pt.wikipedia.org/wiki/Ipatinga  Wikipédia, a enciclopédia livre. História de Ipatinga, Região metropolitana do Vale do Aço.

http://www.icb.ufmg.br/zoo/primatas/prim18.htm – Parque Estadual do Rio Doce PERD (texto extraído de Hirsch, 1995)

http://aceciva.blog.terra.com.br – ACESIVA – Associação Cultural do Vale do Aço – Projeto de Resgate Histórico/fotográfico do Vale do Aço

http://ipatinga.tur.br/?conteudo=216 – Guia Cidades Classiminas Ipatinga – Recontando uma História. Por Cláudia Bergo

http://www.achetudoeregiao.com.br/MG/ipatinga/historia.htm – Ache tudo e Região – História Ipatinga MG

www.ipatinga.mg.gov.br  – portal do cidadão de Ipatinga, o portal da transdparência.

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=582465  Sistema viário de Ipatinga, fotos e registros.

www.informacaosobre.com/Ipatinga – História e geografia do Município de Ipatinga

http://www.midiaindependente.org/pt/blue/2006/09/360676.shtml – O Massacre de Ipatinga

http://www.fabriciano.mg.gov.br/mat_vis.aspx?cd=6501  A criação do município., Serra dos Cocais: como chegar.  Prefeitura de Coronel Fabriciano. Primeiros habitantes.

http://www.ibge.gov.br/cidadesat/topwindow.htm?1 IBGE Cidades – Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

http://www.urbanizacao.cnpm.embrapa.br/conteudo/uf/mg.html

Embrapa Monitoramento por Satélite. Minas Gerais

http://globominas.globo.com/GloboMinas/Noticias/Plantao/0,,MUL706325-9076-22718,00.htmlTV Globo Minas (30 de julho de 2008). A TV dos Vales, nova afiliada da Globo em Minas

http://www.brasilchannel.com.br/municipios/mostrar_municipio.asp?nome=Coronel%20Fabriciano&uf=MG&tipo=historia  Brasil Channel. Coronel Fabriciano – MG – História

http://www.cnm.org.br/infra/mu_infra_domicilio.asp?iIdMun=100131358 Confederação nacional de municípios (CMN). Infra-Estrutura – Domicílios Particulares Permanentes e Moradores..

http://www.climatempo.com.br/temporeal/133017/ma-visibilidade-na-usiminas—mg Josélia (17 de maio de 2010). Má visibilidade na Usiminas – MG. Climatempo.

http://www.google.com.br/imgres?imgurl – Dados Cartográficos 2010, Google via satélite

http://ipatinga.files.wordpress.com/2008/08/ipamap.jpg&imgrefurl – mapas

http://www.diariodoaco.com.br/img/imprensa/highslide/I001986.- Empresa Metropolitana de Comunicação.

http://jus2.uol.com.br/doutrina/texto.asp?id=8519  Fernando Fonseca de Queiroz (Outubro de 2005). Brasil: Estado laico e a inconstitucionalidade da existência de símbolos religiosos em prédios públicos

http://aceciva.blog.terra.com.br/tag/fotos-antigas-ipatinga-vale-do-aco/ fotos históricas. ACECIVA Associação Cultural do Vale do Aço

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=582465 – fotos de ipatinga e Vale do Aço.

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=585491 – fotos históricas de  Ipatinga. Crescimento da cidade relacionado ao crescimento da população.

http://www.ipatinga-mg.com.br/turismo.php  Turismo em Ipatinga.

http://www.ipatingafc.com.br/noticias/default.aspx?IdConteudo=3122 –  Ipatinga Futebol Clube

http://www.camaraipatinga.mg.gov.br/cmi_v5/noticia.php?id=4094 – Câmara Municipal de Ipatinga- Mudança do nome do Estádio Municipal para João Lamego Neto “Lamegão”.

http://www.algosobre.com.br/geografia/dominios-morfloclimaticos-brasileiros-os-segundo-aziz-ab-saber.html –  Relevo dos mares de morros.

INPE/CPTEC (2010). Precipitação acumulada em agosto de 2004 (Ipatinga – BRA) (em Português). BDC (Bancos de dados climatológicos)

INPE/CPTEC (2010). Temperaturas mínimas registradas em agosto de 1961 (Usiminas – BRA) (em Português). BDC (Bancos de dados climatológicos).

INPE/CPTEC (2010). Temperaturas máximas registradas em fevereiro de 2006 (Ipatinga – BRA) (em Português). BDC (Bancos de dados climatológicos).

INPE/CPTEC (2010). Temperaturas máximas registradas em novembro de 2007 (Ipatinga – BRA) (em Português). BDC (Bancos de dados climatológicos).

INPE/CPTEC (2010). Precipitação acumulada em dezembro de 2004 (Ipatinga – BRA) (em Português). BDC (Bancos de dados climatológicos).

INPE/CPTEC (2010). Precipitação acumulada em setembro de 2009 (Ipatinga – BRA) (em Português). BDC (Bancos de dados climatológicos). Eventos meteorológicos do mês de setembro de 2006 (PDF). Eventos meteorológicos. CPTEC/INPE

Bibliografia

TULER, Marilene Assis Ramalho. O Massacre de Ipatinga e a Esquerda em Nível Nacional – O grupo dos Onze.  Programa de Pós Garduaçãoem História Social. Universidade Severino Sombra.
CORREIA,Fabiana Dias. Núcleo de Pesquisa em Desenho Ambiental, FAPEMIG, Arquitetura e Urbanismo.

BRAGA, Tania Moreira. Política Ambiental, conflito e produção social do espaço sob o signo da mono indústria: uma estudo de caso sobre Ipatinga (MG). Anais do XI Seminário sobre Economia Mineira, 2000.
COSTA, Geraldo Magela. Mudanças Populacionais, Espaciais e do Emprego em Aglomerações Urbanas Economicamente Dinâmicas: o caso da Região Metropolitana do Vale do Aço. Ouro Preto, XIII Encontro da associação Brasileira de Estudos Populacionais, 2002.
DIÁRIO DO AÇO. Usiminas: gerando tecnologia e vencendo desafios. Revista Ipatinga Ano 20. Ipatinga: Diário do Aço, 1984.
DIÀRIO DO AÇO. Vale do Aço 2000. Ipatinga: Diário do Aço, 1999.
FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Ocupação e Uso do Solo em Ipatinga: Diagnóstico e diretrizes. Belo Horizonte, FJP, 1998.
GOMES, Maria Francisca de Araújo. Caracterização e mapeamento da instabilidade de encosta do município de Ipatinga/MG para geração de mapa de conflito de uso e ocupação do solo urbano. Dissertação de Mestrado, UFMG. 2001.
Grupo de Arquitetos LTDA. Programa Cura Ipatinga. Projeto Ipanema. Belo Horizonte, 19**.
LEI MUNICIPAL Nº 2.230, que Institui o Plano Diretor Municipal de Ipatinga, de 06 de outubro de 2006.
LIMA, Segregação Socioespacial e Forma urbana: Belém no final dos anos 80.  In.: Brasil Urbano, Rio de Janeiro: Mauad Editora, 2004.
MARICATO, Ermínia. As idéias fora do lugar e o lugar fora das idéias. In.: A cidade do pensamento único. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 2000.
MENDONÇA, Jupira Gomes. Belo Horizonte: a metrópole segregada. In.: População, espaço e gestão na metrópole: novas configurações, velhas desigualdades. Belo Horizonte: PUC Minas, 2003.
MENDONÇA, Roxane Sidney R. de. Vila operária Usiminas: A influência da Urbanística modernista na cidade de Ipatinga. Dissertação de Mestrado, UFMG. 2006.
MOARES, José Augusto de. Ipatinga 40 anos. A história de uma cidade que se confunde com a construção de uma empresa. Ipatinga, PMI, 1ª edição. Março, 2004.

MORAIS, José Augusto de. “Ipatinga Cidade Jardim”.2009, 1ª edição.
MONTE_MÒR, Roberto Luís de Melo. Cidades Industriais planejadas e a exclusão da força de trabalho. Topos – Revista de Arquitetura e Urbanismo, Belo Horizonte, v.1 nº3, jul/dez 2004.
PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA. Diagnóstico para o Plano Diretor. Ipatinga: Prefeitura Municipal de Ipatinga, 1990.
PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA. Homens em série. A história de Ipatinga contada por seus próprios personagens. Ipatinga, PMI, 1992.
ROLNIK, R. & CIMBALISTA, R. Instrumentos urbanísticos contra a exclusão social. São Paulo: Polis, 1997.
SANTOS, Milton. O espaço do cidadão. São Paulo: Nobel, 1996.
SECRETARIA MUNICIPAL DE PLANEJAMENTO. Perfil do município de Ipatinga. Ipatinga: PMI, 2000.
USIMINAS. Usiminas conta sua história. Depoimentos – A comunidade – Depoimento de Raimundo Amélio Alves. USIMINAS. Belo Horizonte. 1990


IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)  Cidades.

Programa das Nações Unidads para o Desenvolvimento Ranking decrescente do IDH-M dos municípios do Brasil. Atlas do Desenvolvimento Humano.

Constituição da República Federativa do Brasil: Artigo 29.

Catálogo telefônico  de  2005, Vale do Aço.

Centro de Geoprocessamento da Prefeitura Municipal de Ipatinga SEPLAN.

 

CLIQUE  NA BANDEIRA  DE IPATINGA PARA  FAZER DOWNLOAD DA

HISTÓRIA DO MUNICÍPIO DE IPATINGA

 CLICAR NO TRENZINHO PARA FAZER DOWNLOAD  DE  DOCUMENTO DA

ESTRADA DE FERRO VITÓRIA A MINAS

 

CLICAR NA FOTO  ABAIXO PARA FAZER DOWNLOAD DO DOCUMENTO

MASSACRE DE IPATINGA

Estação da Vila Ipatinga / 1955 – fonte: acervo fotográfico da aceciva

 

CLICAR NA FOTO PARA FAZER DOWNLOAD DO DOCUMENTO DA 

  AVENIDA 28 DE ABRIL 

 

ponto final de ônibus no centro Rua 28 de abril com Barbacena / 1960 – fonte acervo fotográfico da Aceciva

 

OS PRIMEIROS HABITANTES DE IPATINGA FORAM DENOMINADOS ÍNDIOS “BOTOCUDO”

ACESSE A PÁGINA POVOS INDÍGENAS DE MINAS GERAIS E VALE DO AÇO, NESTE BLOG.

 

 acesse o link abaixo para ver acervo fotográfico da aceciva http://aceciva.blog.terra.com.br/tag/fotos-antigas-ipatinga-vale-do-aco/

 

Veja no  blog Olhares Virtuais, uma entrevista com a historiadora Marilene Assis Tuler Ramalho, autora do livro: O Massacre de Ipatinga – Mitos e Verdades

Clique no link abaixo:

http://blogbiogeo.blogspot.chttp:///2010/03/entrevista-com-historiadora-marilene.htmi

 

VEJA MAPAS DOS BAIRROS E DO MUNICÍPIO

FONTE: CENT RAL DEGEOPROCESSAMENTO DE IPATINGA

BAIRROS

Aguas  https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/aguas1.pdf 

 BarraAlegre https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/barraalegre.pdf

 https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/belavista.pdfBelaVista

Bethania https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/bethania.pdf

BJ https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/bj.pdf

BomRetiro https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/bomretiro.pdf

 canaa https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/canaa.pdf

Caravelas https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/caravelas.pdf

Cariru https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/cariru.pdf

Castelo https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/castelo.pdf 

Centro  https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/centro.pdf

ChacarasMadalena   https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/chacarasmadalena.pdf

ChacarasOliveira https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/chacarasoliveira.pdf

cidadenobre https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/cidadenobre.pdf

CorregoNovo https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/corregonovo.pdf

Ferroviarios https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/ferroviarios.pdf

GranjasVagalume https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/granjasvagalume.pdf

Horto https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/horto.pdf

Ideal https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/ideal.pdf

Iguacu https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/iguacu.pdf

Imbaubas https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/imbaubas.pdf

Industrial https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/industrial.pdf

JardimPanorama https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/jardimpanorama.pdf 

Limoeiro https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/limoeiro.pdf 

NovoCruzeiro https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/novocruzeiro.pdf

 ParqueIpanema https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/parqueipanema.pdf

Usipa https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/usipa.pdf

 Veneza https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/veneza.pdf

VilaCeleste ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/vilaceleste.pdf

VilaIpanema  https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/vilaipanema.pdf

 

MUNICÍPIO

Hidrografia https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/hidrografia1.pdf

Ipa-politico (1) https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/ipa-politico-1.pdf 

Vegetacao https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/vegetacao1.pdf

Politico https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/politico1.pdf 

Ipatinga-LayoutA0 https://ensfundamental1.files.wordpress.com/2010/06/ipatinga-layouta01.pdf

FONTE: CENT RAL DEGEOPROCESSAMENTO DE IPATINGA 

  PESQUISA REALIZADA PARA FINS DIDÁTICOS, MAIO E JUNHO DE 2010.

ASSESSORIA PEDAGÓGICA DA PREFEITURA MUNICIPAL DE IPATINGA.

5 Respostas

  1. PARABÉNS, CONTINUEM COLABORANDO COM A EDUCAÇÃO DESTE PAÍS. SOU PEDAGOGA E PSICOPEDAGOGA ,GOSTARIA DE COMUNICAR PELO EMAIL DE UMA DAS COORDENADORAS PARA TROCARMOS IDÉIAS E SUGESTÕES SOBRE OS JOGOS EDUCACIONAIS.
    ESPERO E AGRADEÇO ANTECIPADAMENTE

  2. EXCELENTE TRABALHO REALIZADO. PARABÉNS.

  3. Parabéns meninas!
    Excelente fonte de pesquisa sobre a nossa cidade.

  4. quantos habitantes tem em Ipatinga?

  5. A fonte de informação mais completa sobre planejamneto urbano de Ipatinga que encontrei na internet foi neste sitio. Parabens. Ficaria ainda melhor se conseguissem os projetos da Vila Operária e cada bairro projetado. Seriam interessantes os originais digitalizados.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: